Antecipação de recebíveis: o que é e quando fazer?

Cada vez mais popular e necessária para MEIs e MEs, agora a antecipação de recebíveis tem taxas ainda mais competitivas, devido à nova regra do Banco Central




Crédito: Pexels


Considerada uma das formas rápidas de tomada de crédito, a antecipação de recebíveis é um dos principais mecanismos de apoio a micro e pequenos empreendedores brasileiros. De acordo com a pesquisa 'Uso da Maquininha 2021', publicada pelo Sebrae em junho deste ano, 45% dos Microempreendedores Individuais (MEIs) e Microempresas (MEs) consultados recorrem à antecipação dos recebíveis das vendas no cartão frequentemente. Outros 18% utilizam o recurso de forma esporádica.


Mas afinal, o que é antecipação de recebíveis e quando recorrer?


Esse é um tipo de operação que transforma vendas em maquininhas de cartão realizadas a prazo em recursos líquidos e imediatos. Nesta modalidade, o vendedor recebe na hora os valores que receberia apenas ao longo dos próximos meses. Dentro do calendário normal, as vendas no cartão de crédito, por exemplo, levam cerca de 30 dias para chegar na conta do estabelecimento comercial.


Assim, o serviço de pré-pagamento dos recebíveis de cartão é disponibilizado para antecipar a liquidação e reduzir esse prazo. Entre os meios para obter esse recurso financeiro, estão os bancos, as fintechs (empresa que atua com tecnologia e inovação em negócios financeiros) e também os adquirentes (operadora de cartão). Ao realizar a solicitação, há a cobrança de taxas, que podem variar de acordo com o montante ou operadora.

O método tem se tornado ainda mais popular por conta do momento desafiador pelo qual passamos, em especial pelo alto número de empreendedores que chegaram ao mercado nos últimos meses e anos. Segundo o Ministério da Economia, o país registrou recorde no número de novas empresas abertas em 2020 e encerrou o ano com cerca de 20 milhões de negócios ativos, o que representa um aumento de 6% em comparação com 2019. No caso dos MEis, que faturam até R$ 81 mil por ano, o crescimento foi ainda maior – a categoria registrou um aumento de 8,4% em relação ao ano anterior, com mais de 2,5 milhões de novos registros.


Nesse contexto, antecipar os valores acaba sendo um fator importante para a manutenção das atividades. Dados da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP) e da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) apontam que a antecipação de recebíveis representa aproximadamente 15% do volume transacionado pelos cartões anualmente. Em 2020, R$ 287 bilhões foram antecipados pelas credenciadoras.


O número tende ainda a aumentar após a aprovação da nova regulamentação do Banco Central (Bacen ou BC) – Resolução nº 4.374 e Circular nº 3.952, de 2019 –, que permite ao empresário antecipar suas vendas com qualquer agente financeiro e não somente com a sua adquirente (operadora do cartão). Assim, ele consegue ter acesso às melhores ofertas de antecipação, sem precisar trocar de maquininha.


O que mudou com a Resolução nº 4.374, do Banco Central?


A nova regra, em vigor desde 7 de junho de 2021, traz atualizações sobre as operações de cartões de crédito e promove uma atuação integrada dos lojistas com as entidades registradoras, por meio de sistemas eletrônicos que serão regulados pelo BC.


Ou seja, a carteira de recebíveis de crédito passa a ser disponibilizada em um sistema único e essas informações se tornam garantias das operações de crédito e financiamento em um ambiente mais abrangente, podendo ser consultadas por bancos e financeiras. Antes, o empreendedor podia negociar apenas com as empresas donas das maquininhas com as quais tinha contrato.


Para os comerciantes, a medida é extremamente positiva, já que dá a eles mais liberdade para negociar com taxas mais competitivas. Segundo estimativa da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), entidade que representa o setor de cartões, esse mercado deve movimentar cerca R$ 2,3 trilhões em operações até o final de 2021. Em 2020, as compras com cartões somaram R$ 2 trilhões.


Quando optar pela antecipação de recebíveis?


Por ser um recurso de tomada de crédito, é importante ter em mente que, na maior parte dos casos, há a cobrança de alguma taxa de juros. Portanto, deve-se recorrer a essa modalidade quando não há capital de giro suficiente para manter as obrigações diárias do negócio. Importante que antes o empreendedor realize todos os seus cálculos e planeje todos os seus custos do período. Outra análise essencial é entender cada uma das taxas praticadas e quanto isso vai interferir no valor antecipado.


Como mencionado acima, normalmente esse valor é variável e, de acordo com o montante total e com a nova regulamentação do Bacen, as taxas ficam ainda mais interessantes, já que essa medida traz mais economia e flexibilidade aos empreendedores com acesso as melhores taxas e condições em um único portal, liberdade de negociação, pagamento apenas da taxa de antecipação com custo zero de cadastro e nenhuma cobrança a mais, em um processo sem burocracia na formalização, tudo feito de forma digital.


Os valores antecipados são creditados em até 2 horas após a formalização da operação, e o pedido pode ser feito de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, exceto em feriados. Caso tenha interesse, consulte a opção no Shopbanx.